Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. 
Que a liberdade seja a nossa própria substância.
(Simone Beauvoir)
.