Sobre meditar

Certa vez, um amigo me perguntou: como se faz para alcançar o tal silêncio interior que todo mundo diz? Eu não conheço esse silêncio! Então, respondi: você pode até não conhecer o silêncio, mas conhece o barulho.
A verdadeira meditação não está em uma postura, em um conjunto de exercícios físicos, em uma sequência de palavras, mantras, símbolos ou imagens. A verdadeira meditação não é um momento reservado para praticar a meditação, pois a meditação não está em praticar um ato. Meditar não é ficar em silêncio (parar os pensamentos) como muitos acreditam.
Meditar é conhecer a si mesmo. Conhecer as verdades por trás de cada pensamento. Descobrir as raízes (apegos) que levam ao sofrimento e se libertar. Não é mudar, é se libertar. Aquele que ainda acredita em uma mudança está preso ao ego e ao desejo de ser diferente, que é proposto pela mente.
Isso não é uma crítica. O desejo de ser diferente vai surgir em diversas circunstâncias. Ao invés de acreditar no desejo, busque meditar sobre o porquê daquele desejo de mudança lhe está sendo oferecido. Será que é um medo de ser criticado ou uma vontade de ser elogiado, por exemplo? Toda ideia que a mente propõe é baseada no egoísmo (crença num eu para esse eu ganhar). Logo, se investigue, conheça o seu personagem e se liberte dele.
Isso é vivenciado a cada momento. Meditação é autoconhecimento a cada instante.

@Conhecimento Interior


Limiar

De calças jeans, camisa de manga longa, casaco de moletom, tênis e ainda com aquela touca preta, saímos pela estrada. Você com aquela boina branca "estilo italiana negra" tentava me acompanhar pelo campo. Era crepúsculo, escurecia pouco a pouco... Aos poucos, no meio do mato aparecia um coreto que estava mais para um pátio de colégio: chão de cimento e teto com telhas já desgastadas. Havia muito mato, e cada vez mais escurecia.

Você conversava comigo pelo caminho aparentemente tentando me convencer a ir nesse "centro de recuperação", nessa espécie de purgatório, mas eu não hesitava em te seguir...
 Encontramos um muro no meio do nada, e logo à frente um portão que tinha a largura de uma porta. Você abriu e entrou primeiro. Pelo que vi, havia mais mato e fiquei meio preocupada, pois apesar de ainda estar um pouco claro, escurecia muito rápido...


Você olhou para trás e sem falar nada me chamou para entrar também. 
Mas eu não consegui. Senti uma mão forte segurar meus ombros e me puxar para trás. 

No mesmo instante fui levada para uma outra dimensão... Um quarto de hotel em Buenos Aires que mais parecia o inferno, muito fogo, fumaça, mãos tentavam escalar a parede, sombras, mãos escuras, muitos gritos, muitos pedidos de socorro. Sussurros no meu ouvido, pedidos de clemência e mais chamas, o quarto estava em chamas... Enquanto isso eu estava amarrada numa cadeira e tentava comunicação, tentava sair dali, pedir socorro, mas quanto mais eu gritava, menos a minha voz saía e eu sufocava...

Então, como num despertar de um pesadelo, quase perdendo as energias, algo saía pela minha boca numa velocidade muito rápida! E a medida que isso saía, as cordas afrouxavam e então pude voar e voltar.

Ciclos

"E você não gosta mais de mim
Vem dizer que eu não soube dar amor
E achar que a vida é mesmo assim
Cada um leva um barco sofredor
Meu baião, coração!
Arranca essa dor do meu peito, pra eu não chorar..."

Ainda lembro aquele dia em que você me achava forte,
você me falou: Um dia você vai me deixar.
E eu, com a certeza absoluta disse: Não, você que vai.
Eu era mais velha e super demais pra você.
Mas como a vida é feita de ciclos, esse ciclo chegou ao fim.
Eu fui obrigada a encerrá-lo. Por que aquele sonho acabou.
Pessoas crescem, vontades mudam.
Hoje você é homem feito e eu sou adulta.
Prioridades diferentes.

"Não vou dizer que foi ruim, 
também não foi tão bom assim...
Não imagine que te quero mal
Apenas não te quero mais!"