O dia do historiador





A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) 
deu parecer favorável, recentemente (09/09/2008) 
ao projeto de lei que institui o Dia Nacional do Historiador. 
A proposta que homenageia os historiadores 
é de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF). 
Originalmente, o texto estabelecia que 
a data seria celebrada no dia 12 de setembro.
 
Mas o relator da proposição na CE, senador Augusto Botelho (PT-RR), 
propôs uma emenda - aprovada pela comissão - 
que altera a comemoração para o dia 19 de agosto. 
A nova data foi escolhida para homenagear Joaquim Nabuco
que nasceu em 19 de agosto de 1849 e também foi historiador. 

JUSTIFICAÇÃO (por Cristovam Buarque)

Um povo sem história é um povo sem memória. 
Essa afirmação, mais que um dito já popular, 
é também uma verdade histórica, 
pois todos os agrupamentos humanos 
que não preservaram sua memória - 
em histórias, documentos, objetos de arte e arquitetura - 
acabaram sucumbindo a ditaduras 
e até acabaram por desaparecer da face da Terra. 
Por essa razão, não apenas a disciplina 
que trata das histórias dos povos 
deve merecer nossa atenção, 
mas também os cientistas que se dedicam 
a essa tarefa tão nobre. 
Obviamente, a história se faz por seus protagonistas: 
lideranças políticas, religiosas e econômicas, por um lado; 
grupos populares, lutas contra a opressão e pela libertação, por outro. 
E para registrar tudo, o historiador. 
E de tal modo é importante o papel dos historiadores que, 
por vezes, eles ajudam, também, a reconfigurar a história de um País.
Ao lado da Filosofia e da Literatura, 
a História está presente 
desde os primeiros momentos da nossa tradição ocidental, 
constituindo um dos saberes mais antigos de nossa civilização. (...)

Fonte: café história