Para muita gente o que importa é uma vida perfeita.
Diferente do resto, estou fadada à minha 'Revolutionary Road'.
Meu destino não é São Petersburgo, não é Teresina!
Nem mesmo o visionário que me inquieta os sentidos.
Sinto um vazio existencial...
de alguém que não quer mais um trabalho medíocre, 
sexo uma vez por semana
assistir TV aos domingos,
a mesma música,
o beijo sem calor...

Eu não quero o vazio da liberdade.

Eu quero a descoberta, o riso escancarado,
dormir quando o dia nascer depois do amor,
não ter hora pra voltar.