"Era vidro e se quebrou"

Ela não sabe até quando isso vai durar. Você, que a conhece pelo avesso sabe que ela deveria ter tomado essa postura tão radical em outra situação. Ela quis deixar a história pra lá, tentou te tratar como antes, mas não conseguiu segurar a onda, ou o ciúme... Criou uma espécie de medo em relação a ti, uma espécie de impotência. Talvez a sensação acabe logo; ou talvez nunca passe. Ela não consegue te enxergar como antes, não tem vontade de te ligar, quer evitar ficar sabendo da tua escancarada alegria advinda do bate-papo gostoso, dos risos, das filosofias baratas (porém, encantadoras), das metáforas...  é por isso que muitas vezes ela te evita, evita a si próprio, quer fugir desse mundinho interesseiro e egoísta. Ela não queria que fosse assim, mas o coração fica apertado e acaba por agir sem naturalidade e a tal sensação do perigo iminente, fica à espreita. Ela só quer te poupar da vida dela: das suas paixões, das suas manias... e além de tudo isso, ela quer se poupar. Ás vezes pensa que agindo assim, só sairá perdendo, mas por enquanto afaste-se ... procurá-la não resolverá muita coisa. Pode parecer estranho, na útilma conversa de vocês parecia que tudo estava bem, mas a verdade é que ao chegar em casa, ela foi tomada por uma sensação desconfortável ao perceber o próprio discurso na tua boca. Com o coração ferido, agora ela não passa de uma coadjuvante.