"Mulherzinha"






Posso até transparecer certa insensibilidade, mas quem me conhece sabe que sou à flor da pele. Não abro mão da minha delicadeza. O poeta Vinícius de Moraes costumava dizer que adorava os defeitinhos que tornavam uma mulher perfeita. Sou doce, tenra... Mas também intensa e visceral, o resto são “pezinhos de chuchu”, vaidades que vicejam na superfície de minhas emoções. Meu lado mulherzinha é carente, inseguro, simbiótico. Gosto de companheirismo, qualquer palavra amiga, escrever muito quando estou magoada, justificar meus draminhas com astrologia ou TPM. Passar horas admirando o céu, seja ele azul, cinza, estrelado ou pontilhado de urubus. Me derreto toda com apelidos carinhosos. Prefiro à pé, à noite e acompanhada. Dançar de rostinho colado. Carinho, muito carinho, principalmente no cabelo. Morro de amores, me entrego, me desarmo. Arrepio-me com o toque, com a música, com o olhar acompanhado das palavras certas, na hora certa.  Sempre acredito que a minha atual paixão é a última. Adoro bichanos, os filhotes são bem mais engraçados. Choro com filmes, livros... Aliás, choro/rio por tudo que toca minha alma entre surpresas, alegrias, decepções.
Faço charme. Fico ansiosa e como doces, fico estressada e só quero dormir. Não sou tão vaidosa, mas vou te contar um segredo: meu cabelo é meu humor. Tento ser organizada e perfeccionista. Fico abestalhada na hora errada e na frente da pessoa "errada"! Adoro canetas, coloridas ou não. Sou toda cheia de nhem-nhem-nhem,  gosto de ser mimada e de mimar o meu amor.  Gosto que se preocupem comigo, que notem detalhes que fazem toda diferença. Se quer me ver feliz, me dê flores e me faça viajar em declarações de amor. 
“Mulherzinha”, eu!? rsrs...