"Delírio"


Não vou buscar a esperança na linha do horizonte
Nem saciar a sede do futuro da fonte do passado
Nada espero e tudo quero
Sou quem toca, sou quem dança
Quem na orquestra desafina

Quem delira sem ter febre
Só o par e o parceiro das verdades
À desconfiança


[secos&molhados]